Cachoeira no cerrado é o que não falta. Em Pirenópolis são tantas, que fica difícil escolher a mais queridinha. Diferente das cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, as cachoeiras em Piri possuem melhor infraestrutura. Uma das minhas preferidas é a Cachoeira do Abade – que fica na Reserva do Abade – a 15 km do centrinho histórico da cidade. Há duas trilhas que dão acesso à Cachoeira do Abade: a Trilha do Abade e a Trilha do Vale.

No feriado prolongado de 7 de setembro deste ano (2017), visitei pela milésima vez a Cachoeira do Abade. Como ela é uma das mais afastadas, optei por visitá-la para não ter de disputar um lugar ao sol. Para minha surpresa, parece que todos os turistas de Pirenópolis tiveram a mesma ideia que eu. A cachoeira estava lotada e mal sobrava espaço para estender a canga.

Mesmo assim, a energia estava boa (como sempre) e desfrutei de bons momentos enquanto estive por lá.

Veja mais posts sobre Pirenópolisclique aqui!

Cachoeira do Abade


Reserva do Abade

A Reserva do Abade fica na Estrada dos Pirineus, caminho para o Parque dos Pirineus. Localizada a 15 km do centro histórico de Pirenópolis, conta com restaurante, duas trilhas, 4 cachoeiras e mirantes de tirar o fôlego com as belezas naturais do cerrado.

Como chegar à Reserva do Abade

Saindo do centrinho histórico de Piri, pegue a Rua do Bonfim e continue pela Avenida Pref. Luiz Gonzaga até a Avenida Meia Lua. No balão, siga pela Rodovia Parque dos Pireneus. A estrada possui uma parte de asfalto e outra de chão batido.

No street view do Google Maps, diz que a estrada de chão é apenas de 10 km, mas a parte que fica após o restaurante Pedreiras está em obras e a terra vermelha começa ali.

Aproveite para descer no Mirante Ventilador.

Trilha do Abade

Mirante Ventilador, Santuário Vagafogo | AzWanderlust

Trilhas da Reserva do Abade

São duas trilhas e ambas começam no restaurante e terminam na Cachoeira do Abade. A diferença entre elas é o comprimento e as opções de atrativos. Você escolhe a trilha que vai fazer, logo na entrada da reserva e ganha uma pulseirinha da trilha escolhida.

  • Trilha do Abade – é a trilha mais curta, cerca de 400 m. O caminho é todo de pedra e o grau de dificuldade é leve. Se optar por essa trilha, você consegue visitar a Cachoeira do Cânion, a Cachoeira do Abade e a Ponte da Tremedeira. O fiscal fica do outro lado da ponte para ver quem pode ter acesso às outras atrações).
  • Trilha do Vale – é a trilha mais longa, cerca de 2,5 km. O caminho é cheio de pontes e dá acesso às 4 cachoeiras (Landi, do Sossego, do Cânion e do Abade) e à vários mirantes, incluindo o Mirante Bugio, considerado um aquário natural onde não é permitido banho na região do rio.

Preço: R$30 a trilha ou R$65 uma trilha + o almoço. Se você optar pela Trilha do Abade, não poderá fazer a Trilha do Vale e vai pagar o mesmo preço. Os valores são de setembro de 2017, no feriado prolongado. É possível que fora de feriado esses valores mudem.

Horário de funcionamento: cachoeira todos os dias das 9h às 17h e restaurante de quinta à segunda, das 9h às 15h.

Recomendo:

Eu já fiz as duas trilhas e confesso que a Trilha do Vale é mais interessante que a Trilha do Abade. Dessa última vez, escolhi fazer somente a do Abade por ser menor e porque eu queria visitar outra cachoeira no período da tarde. Por isso, o post será exclusivo da Trilha do Abade.

Em outra oportunidade – como amo Piri e volto lá sempre! – vou atualizar as fotos da Trilha do Vale e compartilho com você.


Trilha do Abade

A Trilha do Abade tem grau de dificuldade leve e o caminho todo é de pedra quartzito – conhecida como pedra de Pirenópolis. Demora menos que 10 minutos para chegar na Cachoeira do Abade, sendo ideal para os “preguiçosos” ou para quem quer chegar logo na cachoeira principal.

Trilha do Abade

Trilha do Abade | AzWanderlust

Se você estiver empolgado, dá para visitar uma parte da Cachoeira do Canyon, um mirante e a Ponte da Tremedeira. Quando eu fui, o fiscal ficava do outro lado e foi possível atravessá-la.

Ponte da Tremedeira - Trilha do Abade

Ponte da Tremedeira | AzWanderlust

Para chegar às atrações, é só desviar o caminho quando chegar na parte coberta que fica no meio da Trilha do Abade e descer para a Trilha do Vale.


Cachoeira do Abade

A Cachoeira do Abade faz parte do percurso do rio das Almas, possui uma queda de 22 metros, um poço de água verde e uma pequena área de areia e pedra. A água é gelada, mas refrescante para os dias de calor do cerrado.

Cachoeira do Abade

Cachoeira do Abade. Como estamos na época da seca, a queda d’água está bem fraca… | AzWanderlust

É uma cachoeira para a família toda. O poço começa bem raso e afunda com alguns passos. Há salva-vidas que ficam atentos a todos os movimentos dos turistas e não é permitido levar bolsas térmicas com bebidas alcoólicas e comida.

Como disse, a Cachoeira do Abade é uma das minhas preferidas. Nos últimos anos, tem ficado bastante cheia nos feriados e finais de semana, mas mesmo assim não perdeu o seu charme.

Por causa do crescente número de visitantes, algumas providências foram necessárias para preservar a natureza e o bom convívio entre os turistas.

Não é permitido:
  • Entrada de caixas, bolsas e cooler térmicos com comidas e bebidas;
  • Entrar com animais domésticos;
  • Fazer fogueira, fogo ou churrasco;
  • Escrever ou depredar placas, pedras e árvores;
  • Pular ou escalar;
  • Uso de drogas ilícitas ou cigarros de qualquer natureza;
  • Montar barracas ou tendas; e
  • Alimentar os animais silvestres.
Evite:
  • Fazer barulho, buzinar, usar apito ou gritar na cachoeira;
  • Usar sabonetes, xampu e protetores solares que contém produtos tóxicos à natureza; e
  • Incomodar os animais silvestres.
Contribua para o turismo sustentável:
  • Recolha seu lixo e coloque nas lixeiras espalhadas pela reserva;
  • Respeite, preserve e proteja o ecossistema;
  • Use protetores e produtos biodegradáveis;
  • Respeite a sinalização e não ultrapasse os limites das trilhas; e
  • Se vir qualquer ato contrário, denuncie.

Depois de tantas “regras”, desfrute da Cachoeira do Abade com um delicioso e refrescante mergulho e descanse sob o sol na prainha de areia ao redor da natureza. Volte revigorado e cheio de energia!


Vem pro cerrado, brasília, selo fundador, rbbv

Conheça o projeto Vem pro Cerrado, clique aqui!


Talvez você também goste de:


Este post te ajudou? Dá um Pin nesta imagem e salve no seu Pinterest para ler quando quiser!

Cachoeira do Abade