A primeira vez que ouvi falar sobre Trindade, foi quando uma paciente disse que a filha dela adorava “fugir” para lá. Fiquei pensando no quanto eu adoraria fugir também. Não tive dúvidas, desembarquei no Rio para passar o Carnaval e emendei o final de semana na vila de pescadores que fica a 20 km de Paraty.

Quando desci do ônibus, entendi porque muita gente também foge para lá. Trindade é uma vila rústica, cercada pela Mata Atlântica, com praias paradisíacas, cachoeira na mata fechada e piscinas naturais. Tem até uma “pedra que engole”, escorregador e poço bem fundo. E muito mosquito! Demais, que se abrir a boca ele entra. Então, não esqueça o repelente!

O que fazer em Trindade

Praia do Meio | AzWanderlust

Embora o clima paz e amor invada a vila, Trindade tem boa infraestrutura, com pousadas, albergues, campings, padaria, mercado, restaurantes e lojinhas. E muita trilha! Afinal, o que fazer em Trindade?

Veja mais posts sobre o Rio de Janeiro, clique aqui!


História de Trindade

A Vila de Trindade faz parte do município de Paraty, na Costa Verde do litoral sul carioca. Já foi habitada por índios, piratas e portugueses. Nos anos 70, a vila era povoada pelos hippies (essa essência ainda permanece por lá), mas uma multinacional quis fazer da vila uma atração turística internacional com a construção de um resort e expulsou os moradores de lá.

O local luxuoso chama-se Condomínio Laranjeiras e fica a 4 km do centrinho da vila. Apesar da força (leia-se dinheiro) da multinacional, ela não teve tanto sucesso em sua empreitada e os moradores da vila conseguiram assegurar-se de suas propriedades com escritura na mão.

Nos anos 80, o vilarejo de pescadores era procurado pelos aventureiros para acampar nas praias desertas e paradisíacas. Nos anos 90, o turismo cresceu na região e várias pousadas foram construídas para receber tantos turistas.

O que fazer em Trindade

Praia do Meio e ao fundo a Praia do Cachadaço. | AzWanderlust

Hoje, Trindade é habitada por caiçaras e pescadores e tem o turismo como uma das principais fontes de economia. É visitada por turistas do mundo inteiro, mas não perdeu sua essência rústica, onde o clima paz e amor permanece. Felizmente, não é permitida a entrada de vans e ônibus de turismo em Trindade.


Como chegar em Trindade

Trindade fica na rodovia Rio-Santos (BR-101), a 20 km de Paraty. Dá para chegar na vila de carro ou de ônibus. Saindo das cidades paulistas ou cariocas, é preciso fazer uma escala em Paraty e de lá pegar o ônibus coletivo para Trindade.

Partindo do Rio de Janeiro

Este foi o trajeto que fiz. Na ida, fui de ônibus e a volta fiz de carro. A estrada de Paraty à Trindade é bem sinuosa, no meio da Mata Atlântica.

Ônibus – peguei o ônibus da linha Costa Verde na rodoviária Novo Rio (valor de 2017 R$83,45, confira o valor aqui!) até Paraty. Fui no primeiro horário, ainda de madrugada (cerca de 4h30). Na rodoviária de Paraty, peguei o próximo Ônibus Colitur (que faz as rotas do Litoral verde do Rio, valor de 2017 R$5,00) da linha regular entre Paraty e Trindade, 20 km. Desci no último ponto, pois era o que ficava mais próximo do hostel.

Carro – seguir do Rio pela BR-101 (Rio-Santos) até o trevo de Paraty e de lá pegar a estrada que leva à Trindade. Lembre-se que o caminho é serra, ou seja, bem sinuoso. Cerca de 270 km.

Partindo de São Paulo

O trajeto também é feito pela BR-101 (Rio-Santos)

Ônibus – ir de São Paulo à Paraty (cerca de 6h, valor de 2017 R$78,26 executivo, confira o valor aqui! EM Paraty, pegar o Ônibus Colitur (que faz as rotas do Litoral verde do Rio, valor de 2017 R$5,00) da linha regular entre Paraty e Trindade, 20 km.

Carro – dá para ir pela BR-101 (Rio-Santos, 346 km ) ou pelas BR-116 e BR-386 (Taubaté e Ubatuba, 301 km).

 

 


Quando ir à Trindade

Assim como Paraty, Trindade fica cheia de turistas nas férias, feriados prolongados e finais de semana. Como não precisa de carro para circular na cidade, não há problemas de engarrafamento, mas os preços ficam mais caros e as praias mais movimentadas. Se você é daqueles que prefere a calmaria, é melhor ir durante a semana, pois nos finais de semana, principalmente no verão, também lota.

O que fazer em Trindade

E a chuva? Na chuva fica tudo vazio! Como disse, fui depois do Carnaval, bem no início de março e comprovei a teoria da música de Tom Jobim “são as águas de março fechando o verão”. Passei quase três dias lá. No primeiro, o tempo estava nublado. No segundo, intercalou chuva com mormaço. No terceiro, o dia de ir embora e onde a lei de Murphy gosta de dar o ar da graça, fez sol, céu azul e delicinha de curtir a praia.

Enfim, como no Rio faz um calor infernal no verão e na primavera e inverno costuma chover e fazer frio, diria que as melhores épocas são o verão e o outono. Mas, como São Pedro – às vezes – quer nos presentear com chuva (afinal, estamos sem água nos reservatórios!), fique atento ao calendário climático e veja a previsão para a data escolhida.

Mas se chover e você já estiver por lá, vai com chuva mesmo! Só tome cuidado se tiver relampejando! Perigo total! Escolhi o sábado chuvoso para visitar as cachoeiras e ir nas Praias Naturais do Cachadaço, ou seja, me aventurar pela Mata Atlântica em plena chuva. Mas só o fiz porque não tinha nenhuma luz no céu indicando que iria trovejar. Na verdade, foi aquela garoa – pingos finos que mesmo assim ficamos molhados.


Onde ficar em Trindade

A Vila de Trindade tem várias opções de hospedagem, desde resort a camping. Eu fiquei no hostel Che Lagarto e a localização era ótima! Mas, enquanto pesquisava sobre ele para colocar aqui, li que ele fechou e também não consegui achar no site oficial (aqui) destino Trindade.

Trindade é pequena e dá para fazer tudo a pé. Então procure se hospedar no centrinho mesmo. Caso deseje ficar mais afastado, terá de caminhar mais ou até usar o carro, como no caso de se hospedar no Condomínio Laranjeiras, que fica a 4 km do centrinho.

Pesquise hospedagem no Booking.com (clique aqui) ou no Hostel World (clique aqui)!

Booking.com

Como se locomover em Trindade

Trindade é daqueles vilarejos roots onde o carro fica estacionado e você faz quase tudo a pé. Só precisa do carro ou ônibus para passeios mais distantes como a Praia do Sono, Antigos e Antiguinhos e Saco do Mamanguá, conhecido como os fiordes do Brasil. Mas esses passeios podem ser feitos de barco também.

O que fazer em Trindade

Volta da Piscina Natural do Cachadaço de barco. Olha o tempo! Mesmo assim, foi incrível! | AzWanderlust


Quantos dias ficar em Trindade

Passei 2 dias e meio em Trindade. Cheguei na sexta-feira na hora do almoço e fui embora domingo no final da tarde. Sexta estava nublado e sábado choveu. No domingo fez um solzão que desisti de ir à Paraty para curtir um pouco mais da vila.

Como praticamente só choveu, os 2 dias e meio foram pouquíssimos para conhecer tudo o que eu queria. Teve também o contratempo de que me perdi na trilha das cachoeiras e passei mais de 1h caminhando na mata.

Se o tempo estiver bom, 3 dias completos dão para fazer todos os passeios tranquilamente. Se você quiser explorar melhor a região, aconselho ficar por lá 4 dias.

 

 


Onde comer em Trindade

Trindade tem uma boa infraestrutura, por ser uma vila turística, e as opções não são muito baratas para os viajantes “que contam as moedas”. O PF (prato feito) mais barato que achei custou R$18,00. Ele é bem servido, mas se você quer economizar, não será a melhor escolha para todos os dias. O jeito mais fácil de economizar em Trindade é cozinhar no hostel (e deixar aquele dinheirinho para a cerveja!). O mercadinho que tem lá não é o mais recheado de opões, mas dá para comprar o básico e não gastar muito.

Para quem não está preocupado com a grana, há excelentes opções para comer em Trindade. A Avenida Principal é cheia de restaurantes e as pousadas da Praia do Rancho também oferecem a opção.

O que fazer em Trindade


O que fazer em Trindade

Com a chuva, tive que abortar vários passeios mais afastados e optei por visitar o que dava entre uma pancada de chuva e outra. Vou citar todos os lugares que pesquisei antes de ir e conto o que deu para visitar.

Praias

São seis praias, uma ao lado da outra: Praia Brava, Praia do Cepilho, Praia de Fora, Praia dos Ranchos, Praia do Meio e Praia do Cachadaço. Uma mais linda que a outra.

Dá para visitar todas elas caminhando. Entre uma e outra, há trilhas leves a moderada e a mais demorada é da Praia do Cepilho à Praia Brava (30 minutos).

O que fazer em Trindade

Praia dos Ranchos. Olha só, o céu azul! | AzWanderlust

Visitei: Praia de Fora, Praia dos Ranchos, Praia do Meio e Praia do Cachadaço. Cepilho e Brava estavam mais distantes e como o tempo fechou, optei por não continuar a caminhada.

Piscina Natural do Cachadaço

A Piscina Natural do Cachadaço é um lugar incrível de água transparente em meio as rochas. Para chegar lá, há duas maneiras. Uma de barco e outra pela trilha.

Por onde fui: a ida pela trilha e volta de barco.

A trilha (de 30 minutos) começa no final da Praia do Cachadaço e não é level hard, tem grau médio de dificuldade. O início dela é sobre as pedras e quando a maré enche, fica mais complicado. Por isso o ideal é ir quando a maré está baixa. Pergunte a algum morador (ou para a recepcionista da pousada/albergue) qual o melhor horário para fazer a trilha.

O que fazer em Trindade

Pedras que ficam no final da Praia do Cachadaço, início da trilha para as piscinas naturais. | AzWanderlust

Depois de passar pelas pedras, começa a trilha propriamente dita. Uma trilha de terra, escadas e pedras. Há corrimão para apoio e, como havia chovido, lama para todos os lados. Apesar da trilha não ser tão pesada, todo cuidado é pouco.

No final, as incríveis piscinas naturais aparecem e dá para dizer “todo esforço tem uma recompensa!” É paradisíaco! Mesmo nublado, com possibilidade de chuva e tudo cinza, deu para ver os peixinhos.

O que fazer em Trindade

Piscina Natural do Cachadaço. Vazia! Mas olha o céu… | AzWanderlust

Cachoeiras

São 3 cachoeiras na mesma trilha: a Pedra que Engole, o Escorregador e o Poço Fundo. A Pedra que Engole é uma queda d’água que passa por duas pedras formando um túnel que leva ao poço mais abaixo. O Escorregador é onde uma rocha lisa funciona como um tobogã. O Poço Fundo é onde tem o maior poço entre as três quedas.

Visitei: as três cachoeiras, mas só entrei no Poço Fundo. Todo mundo sabe que adoro cachoeiras e até já pulei em várias (hoje não faço mais!). Mas peloamor, imagina passar por um túnel cheio de água entre duas rochas? Nunquinha no Brasil! Estou fora!

O que fazer em Trindade

Cachoeiras em Trindade. | AzWanderlust

O Escorregador parece divertido, mas não deu vontade de me aventurar por lá. Já o Poço Fundo, fez o coração bater forte! Já estava molhada mesmo por causa da chuva, então nem pensei duas vezes para “lavar a alma”.

Há duas maneiras de chegar na trilha das três cachoeiras. Uma é pela rua da Pousada Canto da Cachoeira, onde a trilha já começa pela mata. A outra é pela Praia do Meio, onde temos que atravessar o rio. Não precisa ir nadando, pois a água bate na canela (no meu caso, na coxa! rs).

O que fazer em Trindade

Na primeira foto, estávamos perdidas! Mas olha a vista que ganhamos? Na segunda, indo para a Praia do Meio. | AzWanderlust

Como sou aventureira :P, fiz a trilha começando pela pousada e voltei pela trilha que leva à Praia do Meio. Achando que seria tudo bem sinalizado, fiquei despreocupada. Até que percebi que estava caminhando mais do que devia quando cheguei em uma casa (olha no mapa satélite e veja a casa que fica depois da Pedra que Engole). Tive que voltar tudo… e o pior: estava garoando!

Há outra cachoeira que fica na Praia Brava. Essa eu não conheci.

Passeios mais distantes

Praia do Sono – fica em Laranjeiras, a 4km de Trindade. Dá para ir de barco (de Trindade ou pelo Condomínio Laranjeiras) ou de ônibus e depois pegar a trilha que começa logo após a entrada do condomínio.

Antigos e Antiguinhos – fica depois da Praia do Sono e também dá para chegar lá por barco ou trilha.

Saco do Mamanguá – conhecido como Fiorde Tropical, é um canal com 8km de extensão e 2km de largura entre o mar e as montanhas. Reúne 33 praias, 8 comunidades caiçaras e 1 mangue. Dá para fazer de barco (acho que essa é a melhor opção, já que é considerado o único fiorde da costa brasileira) saindo de Paraty-Mirim ou por trilha.

Eu não fiz nenhum desses passeios, mas eles estavam no meu roteiro. Se você tiver tempo, faça pois tenho certeza que valerá a pena! Depois me conta como foi! O Saco do Mamanguá está definitivamente na minha lista!


Talvez você também goste de:


Este post te ajudou? Dá um Pin nesta imagem e salve no seu Pinterest para ler quando quiser!

O que fazer em Trindade