O free walking tour em Praga não foi o primeiro que fiz na Europa. Aliás, até perdi as contas de quantos já fiz, pois é o passeio que sempre acrescento no meu roteiro. Adoro passear pela cidade a pé com um guia experiente e pagar o quanto posso. Assim, sempre economizo no orçamento final. O de Praga fiz em maio de 2015, pela Sandemans New Eurrope. Pode ser que alguma coisa tenha mudado hoje em dia.

Veja outros posts sobre a República Tcheca, clique aqui!

Cidade Velha de Praga


[Crônica] Um australiano em Praga

— Olá! Meu nome é oiudjk knmjhd jdljjo ahhdo australiano. — disse o guia em inglês.

“Ah não, ele é australiano, meu ponto fraco! Não vou entender nada deste tour”, conversei comigo mentalmente.

— Vamos gfars ndldoj hdgdftsv ahgshsi. — o guia continuou.

— Por favor, você pode falar um pouco mais devagar? — pedi gentilmente. Para minha surpresa, outros viajantes agradeceram meu pedido.

— Claro! As-sim es-tá bom? Se eu fa-lar mui-to rá-pi-do, é só pe-dir pa-ra ir mais de-va-gar.

Acenei que sim com a cabeça. Esbocei falar que não precisava ser tão devagar, mas mudei de opinião quando ele continuou a introdução e acelerou a fala de novo.

— En-ten-de-ram o que ex-pli-quei? — perguntou o guia. Acredito que tenha sido sem querer, mas ele olhou diretamente para mim.

“Por que o sotaque australiano é tão difícil?”, pensei.

— Sim, entendi! É que não sou muito familiarizada com o sotaque australiano, principalmente quando vocês usam gírias. Mas é bom que eu aprendo. — disse sorrindo. Queria explicar-lhe que não sou a “poia” do inglês, mas que o jeito australiano de falar não é o que estou acostumada a ouvir.

— Realmente o nosso jeito de falar e diferente dos outros. Vou me policiar. Se houver algo que você não entenda, pode avisar!

— Sem problemas! — disse enquanto piscava com um olho.

Atravessamos a rua e seguimos o guia por Praha 1, o centro histórico da cidade. Meus olhos brilharam a cada passo e meus ouvidos foram se acostumando com o sotaque que antes era igual tcheco para mim.


Free walking tour em Praga: centro histórico

Em Praga, foi o primeiro walking tour que fiz, onde o guia era um estudante australiano. Quando percebi o país natal dele, desanimei. Não que ele não soubesse o que estava fazendo – aliás, sabia muito bem –, mas realmente ainda não compreendo fluentemente o inglês da terra dos cangurus.

Ok, inglês não é minha língua preferida, mas é a língua mundial e sei me virar tranquilamente com ela. Percebo os sotaques facilmente e os que acho mais diferentes são quando ouço um indiano falando e um australiano. Ah, e um macedônio ou oriental também. Dá para perceber na hora de onde eles são ou pelo menos chutar bem próximo.

 

Free walking tour Praga

Voltando ao walking tour, foi assim: ele acelerando na fala e eu (e mais uns 4 turistas) pedindo para ele desacelerar. Mas como Praga é de tirar o fôlego com tantas belezas e tanta história, foi divertido mesmo assim. No final, eu já estava (quase) acostumada com o sotaque daquele aussie e boquiaberta com a cidade. Simplesmente Praga entrou para o top 10 das minhas cidades preferidas.


Como é o free walking tour em Praga?

O ponto de encontro do free walking tour em Praga é na praça da Cidade Velha (Staré Město, em tcheco). Onde ficam o Orloj e a Igreja Nossa Senhora antes de Týn. Geralmente, os guias estão com a blusa e o guarda-chuva da cor da empresa, o que fica bem fácil de localizá-los. Escolhi a de cor vermelha e foi pela empresa Sandemans New Europe, a pioneira no seguimento.

Veja outras cidades que tem o walking tour, clique aqui!

Free walking tour praga

Avenida Václavské nám e ao fundo o Museu Nacional de Praga | AzWanderlust

Por onde passa o walking tour?

O passeio dura cerca de 3 horas e passa pelos principais pontos da cidade. Começou pela Praça da Cidade Velha (Staroměstské náměstí, em tcheco), passou pela Casa da Madonna Negra (Černá Madona, em tcheco) e pelo Museu do Cubismo (Dům U Černé Matky Boží, em tcheco). Também pela Avenida Václavské nám (onde fica o Museu Nacional de Praga, Národní muzeum), por várias Sinagogas (Synagoga, em tcheco) e Bairro Judeu, pela Casa Municipal (Obecní dům, em tcheco) e Teatro Hybernia (Divadlo Hybernia, em tcheco) e terminou no Rudolfinum (onde fica a Orquestra Filarmônica de Praga, que tem uma espetacular vista do Castelo de Praga e da Ponte CarlosKarlův most). Não nessa ordem.

Veja as 30 estátuas da Ponte Carlos, clique aqui!

Free walking tour Praga

Igreja Nossa Senhora antes de Týn | AzWanderlust

Free walking tour Praga

Casa Municipal | AzWanderlust

Free walking tour Praga

Prefeitura Judaica, Židovská radnice em tcheco | Az Wanderlust

O interessante desse tipo de tour, é que mesmo que tenha um roteiro predefinido, o guia vai de acordo com o grupo. Nesse dia, talvez por obra do destino, foi unânime nosso interesse em passear mais pelo Bairro Judeu. Então, passamos mais tempo por lá e não fomos para o outro lado da lado da Ponte Charles, conhecido como Cidade Pequena, que é onde fica o Castelo de Praga, o Lennon Wall e outras belezas mais.


Minhas impressões sobre o free walking tour em Praga

Apesar de ter me perdido um pouco com o sotaque australiano, o passeio foi maravilhoso. Como disse, ficamos mais tempo no Bairro Judeu. E foi exatamente por isso que resolvi fazer o walking tour, pois o tema da minha viagem era Segunda Guerra (não sabia disso? Confira aqui o Guia: Europa na Segunda Guerra).

Free walking tour Praga

Cemitério Judaico | AzWanderlust

Já tinha batido perna pela cidade de manhã e conhecido quase tudo. Não me importei muito que não fomos na Cidade Pequena, pois fiquei hospedada em frente a igreja de São Nicolas, perto da escada que dá acesso ao Castelo. Então, dei várias caminhadas por aquelas bandas.

Estátuas inusitadas de Praga

O legal também de ter feito o passeio guiado é que em Praga tem muitas estátuas interessantes e o guia explica cada uma delas. Aí não passa batido.

Free walking tour Praga

Estátua “equestrian”, de Franz Kaftka (Socha Franze Kafky, em tcheco) e Relógio Astronômico de Praga (Pražský orloj, em tcheco) | AzWanderlust

Por incrível que pareça, não fiquei amiga de ninguém que fez o passeio comigo. Logo, nesse dia não troquei figurinha com outros viajantes. Mas fiz amizade com o guia australiano e com outros guias da mesma empresa. Eles me informaram a melhor casa de câmbio da época. Ficava na rua atrás da Igreja de São Nicolas da praça da Cidade Velha (não na igreja da Cidade Pequena, viu?). Tinha a fachada amarela. Lembrando que isso aconteceu em 2015 e não sei se ela ainda está por lá.

Em Praga, tudo é muito pertinho e o tour não fica cansativo, pois em cada esquina tem alguma coisa interessante para ser vista e fotografada. Sou suspeita para falar, mas a cidade é uma das mais charmosas que já conheci. O walking tour foi essencial e fez com que eu me apaixonasse por Praga mais de uma vez.


Talvez você também goste de:


Este post te ajudou? Dá um Pin nesta imagem e salve no seu Pinterest para ler quando quiser!

Free walking tour Praga